Porque viajar é preciso

terça-feira, agosto 26, 2014


De volta a solo firme, eu tento pelo terceiro dia desfazer minhas malas. Um pequeno ataque de pura sanidade (depois explicarei melhor) me fez pegar um avião de Porto Alegre rumo a São Paulo. Tripulante de primeira viajem eu devo ter boas histórias para contar, e quase que eu quero fazer um post exclusivo sobre como foi aterrizar no pequeno e tremulo avião da volta. Mas não vou fazer isso. Contente-se em saber que quase morri em uma crise de nervos. 

"Maas, tenho taanto pra lhe faaalaar", como diria o nosso rei Roberto Carlos (eu citei isso mesmo?), que vai faltar espaço para meus dramas pessoais. Então dividirei em três postagens: um apanhado geral, uma lista de lugares favoritos, e é claaro, o que eu trouxe da cidade das compras baratas. Ou nem tanto. O que importa é que quero compartilhar com vocês, caros leitores, as coisas legais pelas quais eu esbarrei durante a viajem e acima de tudo mostrar a quem não conhece e não deixa o bairrismo de lado, o quanto a cidade que nunca dorme pode ser fascinante.

E ah, sobre a questão da sanidade...não tem nada mais certo no mundo do que essas duas coisas: sair da zona de conforto e ouvir o próprio coração. É meio clichê, mas só ouvi o meu porque ele berrava sobre a necessidade de ver coisas novas, descobrir, expandir, explorar... Simplesmente me deparei com a sensação de não estar saciada, de estar dando voltas em torno das mesmas ruas, de estar inquieta olhando para as mesmas caras. E meio que do dia para noite tomei decisões que fizeram a minha vida dar um giro de 360. Mas isso já é outra história. E mal sei eu onde vai dar. 



You Might Also Like

0 comentários

Instagram